Daqui pra antes 

Hoje, enquanto eu caminhava, alguem retirou um objeto da lata de lixo e me atirou. “Sub-emergir seria tipo encher um balão pra dentro?” comecei a pensar que esse seria um bom fragmento de diálogo atribuído a uma conversa entre duas pessoas que não existem verdadeiramente nessa dimensão na qual eu fui acometida a existir; quem observa uma cena  ignorante dessas e forma uma frase assim? E talvez essa teoria estúpida seja só reflexo do paralelismo alienante que caiu amarrado em uma pedra dentro de mim. Por aqui eu ando lenta-quente, amizade; a carne queima com o fogo, é tempo de medir os passos longos, digreções são dolorosas, meus pés já vão se arrastando quando agouro estas situações de retrocesso.   Então, em uma noite recém caída, depois de passos atras de passos percorrendo mais de quinze ruas, perfilei meu rosto sobre o travesseiro; pensei em muitos adjetivos que poderiam ser contidos nas linhas de um pequeno texto; “pobreza vocabular laudada”, eu disse, e joguei dolorosamente meu braço esquerdo em direçao ao caderno; aproveitei a viagem do braço e apanhei o lápis esticando o dedo indicador em direção a ponta do grafite. Nada além de linhas formadas por palavras refluídas de outras anotações reproduzidas de outras escritas…Quando coloco esses pensamentos em ordem, percebo porque ando medindo tanto; perdendo o encanto; sendo muitas vezes planta em momentos que me caberia melhor ser um bode berrante. Adiós, mande notícias do planeta Plutinho e cia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: