Arquivo mensal: novembro 2012

Um

Esquento essa frieza como se fosse palpável. Falo com o silêncio como se fizesse som.

Ah, essa conotação toda emburrece! Torna-se um refém de si próprio aquele que aliena-se em figuras para conseguir explicar os sentidos.  Larga essa coisa subjetiva e vem. Quando chegar tranca a porta, tira a roupa, abraça forte que é aqui que a gente se têm. Vomitam palavras dois olhos fitados. Ah! bosta! maldita conotação!

 

[Cícero – Ponto cego]